quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Carlinhos Violino, Nelsinho Batista, Silas...

É uma tradição do futebol. O vai e vem de determinado treinador em um clube de futebol acompanha grandes clubes do futebol brasileiro e do mundo.

Posso falar mais do futebol brasileiro, onde muitos nomes me vem à cabeça:
Carlinhos "Violino" no Flamengo, Antonio Lopes no Vasco, Nelsinho Batista e Jair Pereira no Corinthians, Valdir Espinosa no Botafogo, Joel Santana nos 4 grandes do Rio...

Esta volta de Silas é uma simples tendência que sempre existiu no futebol brasileiro. Não quero aqui justificar a volta dele como uma consequência do futebol. Mas que é natural isso ninguém pode negar.

No Avaí podemos pegar o exemplo de Sérgio Lopes, Lauro Búrigo e Áureo Malinverni. O primeiro e o terceiro com títulos estaduais e que viravam eterna solução para momentos de crise. Lauro Búrigo, por outro lado, sempre era chamado para dar uma "sacudida" no elenco.

A verdade é que Paulo Silas ficou marcado no Avaí pelas conquistas, que já citei exaustivamente por aqui, a dúvida que sempre fica é: repetirá o sucesso da primeira passagem?

O trunfo dele é que o Avaí foi praticamente o primeiro time que ele dirigiu, podemos considerar como o segundo já que o Fortaleza havia apostado nele em 2008.

As passagens por Grêmio e Flamengo, fizeram-no aprender muito e agora Silas vem com mais experiência para o Leão.

O fato é que com um Brasileirão "nas costas" pelo Avaí e um catarinense e mais 1/2, ele tem condições de fazer um bom papel no Estadual e no Brasileirão, elenco tem, resta agora saber dirigir as feras avaianas.

Um comentário:

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.