quarta-feira, 9 de março de 2011

No primeiro grande teste Silas não foi bem

É, estou longe de considerar a estreia de Silas contra o Vilhena como o primeiro teste. Aquela partida, apesar da dificuldade do campo pequeno, da distância da viagem, teve mais ares de jogo-treino.

Em Chapecó era seu primeiro grande teste. E Silas não passou. Se fosse qualquer outro treinador eu relevaria. Mas Silas já tem história no Avaí, e histórico em confrontos com a Chapecoense, então não tem perdão.

Uma boa parte do grupo avaiano, e também do time do oeste são conhecidos dele. Não tinha como ser surpreendido. Claro que a apatia de alguns jogadores avaianos não pode ser depositada na conta de Silas, daí é a questão da individualidade.

Hoje temos um jogo difícil pela frente. A ausência de William complicará nosso ataque. É visível que Rafael Coelho caiu de produção, Marquinhos agora recupera a forma física e a zaga continua com problemas.

O adversário

É óbvio que o treinador brusquense estudou a partida contra a Chapecoense. Ora, um time que apresentou falhas grotescas nas bolas aéreas deve sofrer com este expediente hoje, afinal Aloísio Chulapa é especialista neste tipo de jogada.

Marquemos os laterais deles então? Sim, mas se vamos utilizar alas na noite de hoje temos que apresentar um esquema de cobertura perfeito e treinamos este esquema nos 1.349 dias que ficamos parados? Acho que não.

Está difícil de arrumar este time do Avaí, agora já começamos a sofrer com contusões. William deu "dodói", Marquinhos e Coelho jogando no sacrifício, Fabiano suspenso... começamos a desenhar um Avaí parecido com o do 2º semestre do ano passado. Que medo.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.