quarta-feira, 13 de abril de 2011

Papo do Lodetti - por Roberto Costa

O Sr. Lodetti, presidente do clube mais agraciado pela mídia, serviu-se desta para satanizar a torcida rival e, em contrapartida, angelizar os torcedores do seu clube. Uma atitude insensata de um cidadão de quem se espera o equilíbrio e o bom senso necessários a quem lida com a massa. Suas palavras foram provocativas, num momento em que provocações não são a melhor coisa a ser feita.

Elencou ocorrrências desagradáveias atribuídas aos torcedores avaianos e omitiu as mazelas perpetradas em seus domínios e adjacências, por alguns baderneiros simpáticos ao seu clube. Nenhuma referência à horda de bárbaros que invadiu o gramado no jogo contra o Caxias, querendo encerrar o jogo antes de seu término para evitar desagradáveis surpresas, não falou o senhor Lodetti do nariz estourado pela explosão de um sinalizador naval (arma capaz de matar) nas arquibancadas de seu estádio, nem no apedrejamento do ônibus da torcida do Coritiba na chegada ao estádio, que resultou numa batalha campal e que a mídia alegrada a café de imediato abafou, nem no inescrupuloso da camisa pornográfica que chocou mulheres e crianças de sua própria torcida.

Por fim, deplorável sob todos os aspectos sua atitude, atitude de um advogado lúcido e experiente, em atribuir maldosamente à torcida do Avaí a autoria de um homicídio.praticado proximo de seu reduto, homicídio este, o senhor sabe, nunca esclarecido pela polícia, nunca julgado pelo poder judiciário. Mas no dia 5 deste mês o Jornal Notícias do Dia reportou em sua página policial a prisão de um jovem vestindo a camisa alvinegra de seu clube, quando assistia ao jogo contra o Criciúma. Preso por envolvimento em brigas e por suspeição de homicídio. Disso também são feitas as torcidas, Dr. Lodetti, todas. - Roberto Costa (O nosso).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.