segunda-feira, 2 de maio de 2011

2 x 0 = 2 x 2?

A velha sina está de volta com o Silas. Vantagem de 2 x 0 do Avaí não é vantagem. A chance de empate é sempre maior que a vitória. Com Silas, o Leão não consegue manter a vantagem conquistada.

Quando o resultado era favorável, o Rafael Coelho foi sacado para a entrada de Fabiano. O fato é que com os dois atacantes estavam em campo, havia grande preocupação do time do Oeste com a sua defesa. Ainda que atacassem, não vinha com forma máxima, pois a preocupação com o contra-golpe era enorme.

Com o empate da Chapecoense, Silas reconheceu a substituição equivocada e recompôs o setor com a entrada do Evando. O Leão ainda teve chances de matar a partida, mas o prejuízo já estava concretizado.

Espero que nosso treinador tenha aprendido a lição na tarde de ontem e que a era de empates em 2 x 2 depois de abrir vantagem no placar de 2 x 0 tenha se encerrado.

8 comentários:

  1. Se ele ainda não aprendeu nunca vai aprender.

    ResponderExcluir
  2. eu estava em chapecó e apos comemorar o segundo gol disse aos amigos pravatto e vandrei bion: nao gosto de estar vencendo por 2. nao sabemos segurar este resultado. ja entregamos vários. falei cedo demais...
    pra mim alem das mudanças do medroso sillas, o gol que coelho perdeu ao chutar na trave foi decisivo. com 3x0 matariamos a partida.
    tbm achei que o renal apesar de boas defesas que fez, mas qdo ja estava empatado, foi infantil ao fazer aquele penalti. foi longa a nossa viagem de retorno...

    ResponderExcluir
  3. Que critério é esse do nosso treinador, quando estamos ganhando em cinco minutos muda o time, quando precisamos ganhar é depois dos 30 do segundo tempo. Assim não dá.

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que foi a tarde da burrice e da fatalidade.
    A fatalidade foi a contusão do Gian, que é um leão em campo.
    As burrices foram várias.
    Rafael Coelho poderia ter arrumado a bola para a frente do gol e feito o gol que nos daria a vitória, mas fez uma burrice. O diâmetro do poste da trave deve ser em torno de 10cm, e o gol tem sete metros, e ele acertou o poste, com muita displicência, faltou humildade. Já pensa que é craque.
    O Bruno no segundo gol dos índios estava marcando o atacante pela frente, aí foi encoberto e tomamos o gol. Ele estava marcando a bola e, não, o adversário, isso é uma burrice.
    O Renan, apesar de ter feito algumas defesas maravilhosas, típicas de um grande goleiro, fez uma grande burrice, porque o índio estava com a bola quase sobre a linha de fundo, sem chance de fazer gol, era só cercar, dando tempo para que algum zagueiro encostasse, mas preferiu dar um carrinho daquele, que, mesmo que não tenha sido penalti, qualquer árbitro marcaria.
    O rei da burrice, porém, foi o Silas, que estava contra atacando bem, tanto que houve aquela jogada em que o craque Rafael perdeu aquele gol, mas daí, pra não deixar qualquer dúvida, ele tira um atacante e põe um volante, chamando a indiarada pra cima do Avai.
    Depois, tentando consertar a burrice, teve que tirar um armador pra colocar outro atacante, isso, em torno de 10 minutos do segundo tempo, com dois a zero pra nós.
    A partir daí o Ovelha deitou e rolou.
    O que ele tinha que fazer é tão básico, que nem precisa ser técnico pra saber.
    É mais um 2x0 que, com a burrice costumeira do Silas, vira 2x2.
    Onde andas Zunino?
    Bom se a gente olhar bem direitinho, vai acabar descobrindo que esse campeonato foi perdido quando algum iluminado e prepotente, teve a idéia de começar o campeonato com o sub 23, que não ganhou do Imbituba e nem dos índios em casa.
    Fica a lição, perdemos a Copa do Brasil do ano que vem e, com isso, perdemos dinheiro.

    ResponderExcluir
  5. Marcos Roberto Dutra2 de maio de 2011 14:38

    Bighal,

    Você tem razão, mas faço apenas um reparo e alguns acréscimos: o campeonato de 2011 foi perdido em 2010, quando algum deslumbrado desprezou o Luiz Alberto, da LA Sports. O cara chegou em 2008, depois de vários anos de vexames. Vou repetir: vexames. Não foram apenas derrotas, foram vexames. Aí ajuda o Avaí a subir com três rodadas de antecedência em 2008, ganha o Estadual em 2009, faz a melhor campanha da história na Série A em 2009, é bi em 2010, faz uma boa campanha na Copa do Brasil e na Sulamericana, e é desprezado pela Diretoria do Avaí. Vou repetir: desprezado.

    Hoje está no Coritiba. Foi campeão com antecedência, está invicto no ano e quebrou o recorde brasileiro de vitórias consecutivas. Mas para o Avaí não serve. Quem serve é o Fábio Araújo, o Mauro Galvão, o Luciano Correa e o Luís Verdini.

    Sobre o jogo de ontem, ainda que tenham ocorrido inúmeras burrices, o gol perdido pelo Rafael Coelho é incomparável. A "derrota" de ontem é responsabilidade dele. E ele sabe disso.

    A lamentar a arbitragem, que "matou" o Avaí em lances de meio campo, e a camisa do Renan. Imagem do "Desbravador"? Fazer média com adversário? Vamos ser mais profissionais, pelo amor de Deus.

    ResponderExcluir
  6. Isto aconteceu muito em 2009. Nós nao chegamos a uma libertadores ou ate mesmo sermos campeoes brasileiros no ano de 2009, por causa disto mesmo. Foram (+ ou - ) sete (7) jogos em que venciamos por 2x0 e com o Silas retrancando o time, cedemos o empate. Nao precisavamos de todos estes pontos (jogados fora) por puro medo e covardia para alcancarmos o Flamengo. Tivemos uma diferenca de 10 pontos. Quatro vitorias destes empates e seriamos os campeoes do Brasil !!!! Ou ele nos garante que nao ????
    ... e o pior de tudo é que isto vai continuar acontecendo. Certeza disso !!!!

    Marcelo Alves

    ResponderExcluir
  7. Eu concordo que o Luiz Alberto faz falta, mas a torcida, essa nossa torcida que é, no mundo, a que mais torce contra o próprio time, execrou o LA, simplesmente porque ele tinha lucro; nossos torcedores (claro que não eram todos), queriam que ele fizesse tudo de graça para o Avai.
    Ele foi pro Coritiba, levou um monte de jogadores do Avai e o sucesso lá é total.
    O que diriam, agora, aqueles nossos torcedores?
    Mas na dispensa, ou quase, do Luiz Alberto, o culpado seria o Zunino, é ele quem toma as decisões e escolhe as pessoas pra trabalhar no Avai.
    Lembre-se ainda, que é o Zunino e/ou o diretor de futebol do Avai que tem que chamar o Silas e exigir um trabalho decente, capaz de alcançar os objetivos do clube, ou que vá ser retranqueiro, medroso, em outro lugar.
    Se jogando contra a Chapecoense ele fez o que fez, amanhã ele provavelmente vai entrar em campo com oito volantes.
    Pra fazer esse tipo de trabalho, qualquer treinador serve.
    O que a gente precisa é de um treinador que saiba analisar o jogo e faça as mudanças necessárias pra conseguir o resultado, não pra facilitar pro adversário.
    Nosso treinador de goleiros, repito, me parece que tem como função, apenas, aquecer o goleiro antes de cada jogo.
    Goleiro precisa ser orientado, treinado, ensinado, de preferência por um ex-goleiro de boa qualidade.

    ResponderExcluir
  8. Alguém que tivesse acesso à Diretoria do Avaí, deveria levar essa observação do Marcelo Alves para o Zunino, melhor, para o Mauro Galvão, que ano passado não estava no Clube e desconhece. Fazê-lo saber daquela sequência de empates sofridos após o time estar ganhando de dois a zero. Isso não é coincidência, é um dado importantíssimo, porque a sequência confirma um vício de estratégia do Silas, já repetido em dois jogos esse ano, importantes e decisivos, Botafogo e Chapecoense. Quem sabe o Rogério faz essa ponte. Falou bem o Marcelo, mantidas as vitórias em que cedemos o empate em 2009, teríamos feito um campeonato ainda mais memorável, pra tripeiro nenhum botar defeito. Roberto Costa. -

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.