segunda-feira, 2 de maio de 2011

Desclassificação

Posso falar sem ser comentarista de resultado, porque ao longo do campeonato disse isso mais de uma vez. Nossa Diretoria entrou no campeonato de salto alto, jogando pontos pelo ralo, que nesta reta final fizeram falta, pontos que obrigaram-nos a decidir fora. Ainda assim, podiamos ter passado à final. Infelizmente nosso treinador cedeu à maldição dos temerários, quando tinha o jogo na mão facilitou tudo para o adversário que vinha sendo fustigado por dois atacantes. Foi um Benazzi na hora errada. Tinha condições de fazer o terceiro e matar de vez o jogo. mas abdicou de atacar, não manteve a mesma estratégia. Já vi muitos treinadores entregarem jogo com essa atitude. Não sei se o torcedor que opina nos blogs consegue ser ouvido na Ressacada, parece que não. Mas o Renan, esse moço que foi convocado para a Seleção, certamente não o foi gratuitamente, ele tem potencial, faz defesas brilhates embaixo da trave, mas precisa ser orientado, precisa conscientizar-se de certos fundamentos. Precisam dizer a ele que sempre que sair do gol não precisa desligar o raciocínio, não precisa ser atabalhoado. Todo torcedor avaiano sabia que qualquer lance parecido com pênalti em nossa área seria apitado, então, os jogadores também deviam saber disso, ainda que pegasse na bola, Renan não podia entrar com aquela fúria, deveria ter cercado apenas o adverário, que ia em direção à linha de fundo, sem perigo imediato. Alô, treinador de goleiros. Era o ano do tri, ano de recuperar a hegemonia em número de títulos, e ano do centenário de nascimento de Aderbal Ramos da Silva, grande figura da História do Clube. Um ano muito especial pra ser encarado a displicência que vimos na largada do campeonato. Ano passado fizemos o mesmo no Nacional e mantivemo-nos na série A no sufoco. Por favor, as lições se repetem, vamos estudá-las. - Roberto Costa (O Nosso).

4 comentários:

  1. Perfeito, Roberto. Bela análise.
    Não só você, mas a maioria dos torcedores lúcidos viviam apontando toda a engronha que foi este começo de ano.
    E veja que a nossa história, o nosso potencial é tão bom que, mesmo com todo o pepino, ainda chegamos perto de mais uma final.
    Alguém tem que aprender essa lição.

    ResponderExcluir
  2. COMPLEMENTANDO, OU ADITANDO SEU COMENTÁRIO ROBERTO -
    1. - A PERDA DE MUITO DINHEIRO (POR BAIXO UNS R$ 500 MIL) SEM NOSSA PARTICIPAÇÃO NA COPA DO BRASIL/2012;
    2. - O TÍTULO, OU MELHOR O TRICAMPEONATO ESTADUAL, QUE EM GANHOS FINANCEIROS NÃO SERIAM DE GRANDE MONTA, PORÉM, PARA A HISTÓRIA NÃO TERIA VALOR QUE PAGASSE;
    3. - A MORAL QUE NOS DARIA PARA ENFRENTAR O SPFC;
    4. - MAIS UM JOGO CONTRA O CRICIUMA NO A.R.S. MAIS DINHEIRO ARRECADADO;
    5. - E REPETINDO O QUE VOCÊ DISSE, ANO DE NASCIMENTO DAQUELE QUE EM VÁRIAS OCASIÕES NÃO DEIXOU NOSSO QUERIDO AVAÍ -LETERALMENTE MORRER- (DE FOME, DE SEDE, E DE INANIÇÃO).
    6. - TUDO ISTO PORQUE TEMOS UM "TÉCNICO" -C A G Ã O- MEDROSO, ESCALA MAL E SUBSTITUI PIOR AINDA.

    RICA - JÚLIO RICHARD CÂMARA.
    E.T. - POR CAUSA DESTE AVENTUREIRO JOGAMOS PELO RALO MAIS UM TÍTULO DE RETURNO E QUEM SABE UM TÍTULO ESTADUAL.
    3. -

    ResponderExcluir
  3. Perfeito! falou tudo!

    ResponderExcluir
  4. Excelente comentário! O ideal seria nós estarmos estudando as lições, classificados para a final e nos consagrando tricampeões. Se tivéssemos analisado nossas falhas e as tratado, certamente estaríamos sorridentes hoje. "Quem não aprendeu na derrota, já perdeu em dobro."

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.