segunda-feira, 30 de maio de 2011

Que seja feliz no Grêmio

Marquinhos é um dos meus maiores ídolos na "Era Ressacada". Coloco-o ao lado de Adilson Heleno, outro grande craque que nos deu muitas alegrias.

O Galego está indo para o Grêmio, excelente para ele. Financeiramente deu mais um grande passo na carreira, talvez na sua ida ao Santos tenha achado que o patamar salarial mais alto de sua vida havia sido alcançado, mas não, veio o Grêmio para lhe pagar ainda mais, bom pra ele, bom pra família dele.

Mas Marquinhos sai por baixo do Avaí. Ele bem sabe que no futebol as vitórias tem que vir em sequência. Marquinhos deixa o clube em um péssimo momento. Bem diferente de sua ida para o Santos, quando brilhou dois anos seguidos por aqui.

O que Marquinhos tem que entender, é que seu amor pelo Avaí é o mesmo de todos os torcedores. E que ficamos tristes nas grandes derrotas. Somos gratos a tudo que ele fez enquanto vestiu nossa camisa, mas faltou-lhe discernimento para entender a atitude do torcedor neste jogo em que ele se despediu.

A passagem dele em 2011 foi muito discreta e terá que melhorar muito para pelo menos ser relacionado para os jogos do Grêmio.

E que um dia volte, eu o receberei de braços abertos, mas que se esqueça o Marquinhos 2011 aqui no Avai, não deu Galego.

4 comentários:

  1. Vou colar aqui o que escrevi no blog da kkdepaula..


    Ainda acho que M10 deveria ter tido uma conversa com o Orivaldo, qualquer apaixonado, seja ele avaiano ou não, se emociona, e se rende aos relatos de amor à camisa, e de que dinheiro não é tudo!

    Esse capítulo da história do M10 mexeu demais com nós, torcedores. O vazio em nossos corações nos deixa a sensação de luto.

    É uma pena, pois jamais vamos esquecer o que ele já fez por nós, só que nada justifica essa situação. O Avaí é sim maior do que Marquinhos, Zunino, ou qualquer outro. Nada está acima disso, mesmo sabendo de toda a importância dessa figuras para o nosso clube.
    Tomara que dê tudo certo para ele no Grêmio, e espero que não tenha que voltar para o Avaí (como sempre aconteceu) para se reerguer. Se for pra voltar, que volte por cima.

    ResponderExcluir
  2. Marcio Contrucci30 de maio de 2011 09:50

    Rogério também sou fa do Marquinhos mas é da sua personaliddae falar demais e nesta passagem pelo Avaí em 2011 ele mais falou que jogou , boa sorte para ele no Gremio e bola para frente que tem muito campeonato ainda que os urubus de plantão corram atrás de outra carniça pois ja ja o LEÃO reage . Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Também acho que o Marquinhos fez muito pelo Avai nas suas passagens por aqui, mas nesse ano foi irreconhecível, aparentemente sempre desligado, o que é absolutamente lamentável.
    Se for no Gremio o Marquinhos 2011, não fica muito tempo. Lá ele tem que ser o Marquinhos 2009, no mínimo.
    Que seja feliz e, se voltar que seja pra repetir 2009, pelo menos.

    ResponderExcluir
  4. Andrey Cavallazzi Freitas30 de maio de 2011 14:46

    Vou tentar resumir a passagem do Marquinhos no ano de 2011, bem como todos os mitos, verdades e mentiras criadas pela imprensa e torcida. Isso tudo na minha opinião, é claro.

    Criou-se um mito de que o Marquinhos não vinha jogando absolutamente nada. O fato de que seus companheiros de meio-campo eram dois primeiros volantes de origem (Marcinho Guerreiro e Diogo Orlando) era ignorado. O fato de que a dupla de ataque (Coelho e William) não possuía características de recomposição de meio-campo, também era ignorado. Sendo assim, Marquinhos ficava nitidamente sobrecarregado nas armações de jogadas, tendo apenas o auxílio esporádico de Julinho ou Gustavo (!). Para ser mais claro, farei uma comparação com o time de 2009: não tínhamos jogadores com características nem de Muriqui e nem de Léo Gago atuando ao lado do Marquinhos.

    Apesar de todos esses fatores contra o nosso maestro, quero que me apontem UM jogo no qual Marquinhos não deixou um companheiro em posição para marcar o gol. Assisti todos os jogos do Avaí no ano (exceto contra o Vilhena) e sei exatamente do que estou falando. Mesmo no jogo contra o Vasco, onde "Marquinhos não jogou nada", as nossas duas melhores chances de gol no primeiro tempo vieram de dois passes precisos do galego.

    Portanto, na minha opinião, Marquinhos realizou uma temporada razoável até agora, tendo sido prejudicado em 95% dos jogos pelo esquema adotado pelos nossos treinadores. A cobrança em cima dele foi completamente desproporcional ao que vinha ocorrendo dentro de campo. Mas é isso aí; é sempre mais cômodo e econômico culpar apenas uma pessoa pelo fracasso, não é mesmo?

    Quanto a saída dele, acho que foi o primeiro grande passo rumo a série B de 2012 e quero aproveitar a oportunidade para parabenizar todos aqueles que vaiaram o galego na última partida. Se havia alguma chance da permanência do Marquinhos para o resto da temporada, ela foi sepultada em decorrência das vaias irracionais de mentes iluminadas no jogo contra o Atlético-MG.

    O momento demandava justamente o oposto; precisávamos de uma mobilização da torcida para mexer com os brios do galego e garantir mais uma temporada com um dos melhores camisas 10 do Brasil em atividade.

    Os torcedores que o vaiaram devem estar felizes, afinal, temos agora o Robinho para fazer a função, jogador extremamente comprometido e que, tenho certeza, está ávido por correr e dar o seu próprio sangue pela nação azurra.

    Acredito que, em breve, o prêmio nobel da irracionalidade estará disponível para aqueles que vaiaram o maior ídolo da história do clube.

    O Avaí segue...
    Abraços.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.