quarta-feira, 25 de maio de 2011

São todos ídolos

A atitude do torcedor avaiano tem que ser a mesma dos dois últimos jogos na Ressacada: incentivar o tempo todo.

Hoje não temos jogador bom ou ruim, são todos guerreiros. Digo isso porque já se cria uma pré-disposição com alguns jogadores, em especial Felipe e Rafael Coelho, este nosso artilheiro na Copa do Brasil juntamente com William.

Rafa Coelho tem irritado o torcedor com os gols perdidos nos últimos jogos, mas lembrem-se também do importante gol contra o Botafogo no Engenhão. E a curta carreira dele sempre foi assim, Coelho perde gols na mesma proporção que faz. Se entrar jogando ou se for opção para o decorrer da partida, ele tem que ser apoiado.

Um jogador vaiado pelo torcedor é um jogador a menos para nos ajudar, lembrem-se sempre de Diogo Orlando, de vaiado em um clássico a um jogador que tem agora a ausência lamentada.

Felipe é outro caso, o atleta é atacante de origem, Silas viu nele uma possibilidade de nos ajudar na lateral direita. Felipe não é um primor na lateral, mas eu vi uma boa atuação dele em São Januário, nos ajudou muito, foi combativo e cumpriu ótimo papela tático.

Felipe precisa de nosso apoio e carinho. Lembrem-se que todos os jogadores tem grandes amigos no elenco, vaiar um deles não significa apenas vaiar aquele jogador mas abalar outros que são próximos a eles.

A vaia na hora errada só atrapalha. Mas convenhamos este time do Avaí que faz brilhante campanha na Copa do Brasil, fazendo toda a nação nos respeitar, é merecedor de alguma vaia?

Vamos apoiar do início ao fim, todos os jogadores, no final vamos todos sorrir e agradecê-los por mais um momento histórico.

3 comentários:

  1. Concordo que teremos que apoiar do começo ao fim do jogo, sem vaiar quem quer que seja, precisamos dessa classificação e os jogadores sabem disso.
    Eu particularmente não vaio ninguém, até porque entendo que todos estão em campo tentando fazer o melhor que podem.
    No caso do Rafael Coelho, acho que ele precisa de orientação, pra ser um bom jogador:
    1. Perde muitos gols praticamente feitos e isso desmotiva até os companheiros em campo.
    2. Não sabe se colocar na área, está sempre impedido.
    3. Um bom exemplo de má colocação ocorreu no jogo contra o Flamengo, quando o Romano entrou pela esquerda, foi no fundo do campo e chutou cruzado pra dentro da área e o Rafael Coelho ficou atrás do zagueiro, que afastou com muita tranquilidade.
    Um bom centroavante, teria acompanhado a jogada do Romano e se colocado à frente do zagueiro pra fazer o gol.
    Em contrapartida é voluntarioso, valente e tem boa velocidade, que são características excelentes para um centroavante.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma coisinha, o Rafael Coelho já falou, há algum tempo, que gostaria de voltar ao Vasco. Será que ele terá equilíbrio emocional pra jogar contra o Vasco em um jogo dessa importância?
    Vai querer fazer gol?
    Será que não vai tremer? E se tremer vai perder mais gols do que perde habitualmente.

    ResponderExcluir
  3. Não vou vaiar, até pq sou contra essa atitude, mas Felipe na LD é forçar demais a barra.
    Não vejo qualidade nele para usar a camisa do Avaí.
    Torço para que queime minha língua e faça uma partida memorável.

    Abs

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.