sexta-feira, 3 de junho de 2011

De luzes e trevas

O jornal hora trouxe como manchete de capa a seguinte frase, referindo-se aos jogadores que deixam o Avaí e à possibilidade de Silas também sair: "O último a sair apague a luz." Trata-se de expressão pejorativa.

Pra quem tem memória, a luz foi apagada no Estreito quando pepê saiu, e a julgar pelas reclamações da diretoria que assumiu, as trevas envolveram tudo. Por falar em diretoria que assumiu, ela o fez em cima de críticas severas à forma de administração da anterior, em especial pela "transferência" dos melhores jogadores para o desconhecido Tombense.

E agora, segundo a mesa bicuda, ficou-se sabendo o terceiro nome do murrinha, agora também se chama Coimbra, mas nada a ver com Portugal, é segunda divisão mineira, sob cujo nome constam os direitos federativos do jogador Heber, que segundo se dizia era do murrinha, digo, do tombense, aliás, do Coimbra, melhor ainda, do BMG, que não é clube de futebol, é banco.

A diretoria atual repete a anterior, segundo disse o Maicon, componente da mesa bicuda. Talvez a luz por lá não se apague, mas é porque ainda não se refez. - Roberto Costa (O nosso).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.