terça-feira, 7 de junho de 2011

Um fio de esperança

Estou com um pressentimento de que as coisas vão começar a mudar para os lados da Ressacada. Basta boa vontade da diretoria em aparar algumas arestas e daremos um giro de 180 graus.

O momento é de união de forças, e é isso que tem que permear a cabeça dos atuais diretores. O Avaí não desaprendeu a fórmula do sucesso. Um acesso, uma campanha brilhante na Série A, um bicampeonato estadual, uma boa campanha na Copa Sul Americana, e três boas participações seguidas na Copa do Brasil não são obra do mero acaso.

A fórmula da recuperação está dentro da Ressacada. Se reunirmos as pessoas certas novamente em torno de nossa recuperação tenho certeza que daremos a virada. Aos que se vão um tchau bem grande, vamos trabalhar com o que temos e agregar mais qualidade.

Não falo só de elenco não, sei que a maneira que estou me expressão vai deixar muita coisa no ar. Vamos nos unir, criar fatos novos positivos, vencer o América-MG e baixar a poeira.

Um comentário:

  1. Bem, eu imagino que não há outro caminho para o Avai, no momento, que não seja para dias melhores, porque se piorar mais vai fechar.
    Agora com o Silas indo embora, e já vai muuuiiito tarde, vamos ter um novo técnico, de preferência menos retranqueiro e mais inteligente.
    Já li que será o Chamusca ou o Goiano. Acho que tem que ser o Goiano, porque o Chamusca já mostrou que não serve, e o Goiano não é retranqueiro.
    Essas pessoas que renunciaram ao Conselho Deliberativo, deverão ser substituídas com muita rapidez e não muda nada no Avai.
    Já li que o problema naquele jogo contra o Vasco, notadamente o fato de nosso time não jogar nada, foi porque os jogadores queriam a renda do jogo e o clube não aceitou. Se realmente foi esse o problema, acho que temos que dispensar quem liderou isso.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.