sexta-feira, 22 de julho de 2011

Esculpido em carrara

A derrota de ontem para o Internacional deixou "esculpido em carrara" (e não "cuspido e escarrado" como se fala popularmente) o problema defensivo avaiano e justificou a contratação de um novo zagueiro.

Escutei algumas besteiras na noite de ontem. Que Gallo teria mexido mal, que não poderia ter tirado Bruno e colocado um meia ofensivo. Ora, Bruno saiu machucado, então deveria ter colocado Acleisson? Branca?

Não vejo desta forma. Apesar dos tais problemas defensivos que eu coloquei acima, mesmo com a saída de Bruno e posteriormente de Batista, ainda tínhamos em campo Pedro Ken e Diogo Orlando, 2º e 1 º homem de marcação, podendo compor a parte defensiva, frente à zaga. Pronto, estava formado o 4-4-2, sem maiores problemas.

Não foi a mexida de Gallo que acabou com o time, foi a maior qualidade do adversário. Leandro Damião, maior artilheiro do Brasil em 2011 com 25 gols, D'Alessandro, Tinga e Andrezinho ditaram o ritmo da vitória colorada.

É questão de saber enxergar a distância entre os dois times, os dois elencos. O que me preocupa mais no momento é termos só William como o tal atacante confiável que falei esta semana no blog.

Rafael Coelho se arrasta em campo, Fábio Santos não mostrou nada até agora, Maurício Alves é veloz e se atrapalha com a bola. Teremos que torcer para Caíque vir e tomar conta da posição.

Leandrinho jogou pouco, mas vi nele o estilo de Caio, com um porém, é homem somente para servir. Com Caio tínhamos o chute de fora da área que volta e meia entrava. Que o digam Palmeiras e Santos.

Estou triste com a derrota, é claro, mas temos que continuar acreditando.

Nota triste nº1: recebi comentários de avaianos felizes com a derrota, pois não gostam do Gallo, ou do Zunino, ou do William, ou do Mauro Galvão, ou do etc... ou seja, torcem contra o time para ver o circo pegar fogo. Com certeza estes que torcem contra são os primeiros a assumirem o clube se por acaso cairmos para a 2ª divisão, coisa que não acredito.


Nota triste nº 2: o número reduzido de torcedores na noite de ontem. Tínhamos motivos para ir a partida, mas já esperava que a Ressacada ficasse vazia após a pixotada da Diretoria esta semana.

13 comentários:

  1. Rogério, faz tempo que venho falando que este Gustavo Bastos é ruim, você conhece e sabe quem esta fazendo falta! o treinador ficou sem um volante troca por outro ou até coloca outro zagueiro afinal estavamos ganhando. Eu me nego a falar de treinador mas já passou do tempo de ir embora.

    ResponderExcluir
  2. Rogério, pra diretoria é mais facil iludir de 2.500 a 4.000 torcedores,do que chegar e tomar um medida de correção do tipo reconhecer que errou, trocar treinador, mandar um monte de come dorme embora, e baixar preço de ingresso, chamar a torcida pra jogar junto. " De tolo eles não tem nada" o tu pensa que eles vão querer casa cheia pra ver seus queridinhos serem vaidados ou mal tratados.

    ResponderExcluir
  3. "Bruno saiu machucado, então deveria ter colocado Acleisson? Branca?" - Sim, exatamente. Não tinha motivos para inventar. Estávamos vencendo! O Gallo deveria ter feito o simples. O jogo estava controlado. Só que o prof. Pardal foi inventar de tirar um volante e colocar um meia-atacante, recuando o Pedro Ken. Aí desandou.
    Seria muito mais fácil manter o Pedro Ken na dele, onde vinha jogando bem, e trocar o Bruno por outro jogador da mesma posição. É tão simples!

    ResponderExcluir
  4. Rogério,

    Com certeza para os próximos jogos vão fazer promoção. Infelizmente com este time medíocre vai ter que ser assim, caso contrário cada vez menos torcedores vão se dar ao trabalho de sair cedo do serviço, pegar fila, pegar chuva, pagar estacionamento, para assistir esse time limitadíssimo.
    PS:O que salvou a noite de ontem foram as meninas da net na entrada do estádio.

    Rafael Simão

    ResponderExcluir
  5. Murilo MOreira

    Rogério, quem torçe pro Avaí perder por causa do treinador ou jogador ou seja lá quem for, não pe torcedor do Avaí.

    O Gallo não serve ele errou na substituição? Não, ele errou sim na escalação do Banco, nenhum cabeça de área, pois se fosse simplesmente trocado o Bruno por outro certamente não teríamos perdido.

    Ele até que arrumopu a saída de bola, mas par por aí. O ataque é uma vergonha o Willian se quebrando na frente, a zaga muito mal posicionada, e não é por falta de jogadores não, é mal treinada mesmo.

    Estamos indo pra série B e a diretoria está com o discurso que estamos na rodada tal e falta tanto aquele blá blá blá de sempre.

    Fora o grande projeto de mensalidades e ingressos que foi uma vergonha o Conselho do Avaí deixar de lado.

    Sem o Gallo a série B está muito próxima com ele esta muito perto. Chegaremos na metade do returno já rebaixados e como último colocado com esse cara de treinador.

    Pela entrevista dele ontem o Avaí perdeu porque o time do Inter tem uma qualidade muito superior, então já perdemos as próximas duas rodadas, pois a desculpa é a mesma.

    O pior de tudo é assistir na quarta que vem contra o Botafogo e esperar pra ver de quantop irá perder. O Avaí ontem não deu nenhum chute a gol no segundo tempo.

    Par encerrar não queiram comparar a campanha de
    2009 quando o Avaí apostou na permanência do Silas, naquele ano ele vinha de um acesso e de um título estadual, e o Galo vem de que? ganhou o que? Jamais torcerei contra, mas com o Gallo prefiro (se conseguir. Duvido!!!) não acompanhar mais o Avaí, ontem foi decepcionante, e se aquele primeiro tempo foi um grande futebol...nem precisa falr mais nada.


    Em tempo: Gravei o jogo na Sky e assistindo agora pela manhã, no lance que o Willian fez o primeiro gol ele não estava impedido, mas o comentarista de Joinville saiu com a seguinte frase: " ele estava um milímetro na frente "

    ResponderExcluir
  6. O Alexandre BURRO nãom mexeu mal, mexeu errado, ele é muito ruim, muito BURRO, vai ver que é por falta de volante, na minha opinião ele é BURRO.

    ResponderExcluir
  7. Vejo evolução.
    A qualidade individual é nítida.
    A saída do BOM jogador Bruno fez diferença.
    Espero que o Caçapa dê segurança a nossa zaga.
    Leandrinho parece ter um bom toque e é rápido, infelizmente entrou num momento ruim do jogo.
    A Avaí sente o preparo físico - estranho isso!

    Cada um tem sua opinião, mas acho que o Avaí está no caminho certo.

    Torço pelo meu time sempre

    ResponderExcluir
  8. exatamente, poderia até ser o pereba do Acleisson, mas alterar um modo de jogo, onde o Avaí ganhava, e abrir contra o inter e mais uma pergunta, SÓ TINHA O ACLEISSON DE VOLANTE NO BANCO ????
    E para variar, sempre o meia apagado do time adversario deita e rola em cima do Avaí, e ontem foi a vez do dealessandro fazer a festa...MARCA O CARA , MARCA O CARA , MARCA O CARA !!!! REALMETE É MUITO COMIDA PARA A MESA BICUDA....daí no final os "ouvidores" dizem que o MAL tem razão !!!
    Damian

    ResponderExcluir
  9. Rogério,

    eu não sei se é uma sensação de quem não entende tecnicamente de futebol tal qual eu, mas a minha é a de que nosso AVAÍ está com medo de vitória. É a gente fazer um gol e começa aquele clima de que vamos perder o jogo, mesmo estando na frente no placar. Além disso, nunca vi tanta descrença e desesperança como tenho notado em parte da nossa torcida, no meu setor que é o D pelo menos. Lembras quando eu cheguei a dizer que somos poucos os "realistas" que chamavas de otimistas?
    Aquela vibração que tivemos, fosse o momento que fosse, parece que está anestesiada. Sinto isso como muito prejudicial em todos os níveis. Nessa linha de reflexão eu busco avaliar até onde a boataria conseguiu afetar o nosso torcedor que acredita em tudo o que ouve, e que dá crédito pra aquela mesa de invejosos daquela rádio e TV...
    Até quando nossa torcida vai se permitir ser levada numa onda que virou tsunami e está nos arrastando?
    Não estou fazendo vistas grossas ou ignorando os problemas que temos dentro e fora das 4 linhas. São mais do que reais. Mas, quando o torcedor vestia a camisa 12 e se importava menos com quem é o empresário de quem e quem tá ganhando quanto, nosso papel era mais legítimo e éramos uma força esmagadora de qualquer adversidade.
    Hoje esta onda chamada de "moralidade" está mais atrapalhando do que ajudando. Primeiro porque de moralidade pouco ou nada tem. Segundo porque todo mundo virou santo de uma hora pra outra e dentro do AVAÍ julgam que só tem sem-vergonha e safadeza. Arrogam-se a querer que o Conselho Deliberativo seja o inquisidor que escorraçamos a presença e o "trabalho" na Idade Média, creditando a eles tudo que acham que não está certo, como cúmplices.

    Queria mesmo que nossa camisa voltasse a ser a 12 e que com ela estivéssemos ao lado do nosso time, que por causa da nossa alegria e vibração tornou-se de Guerreiros...
    As freirinhas podem voltar para o convento porque não vão encontrar no futebol o que procuram. Ou alguém acha que nos times que sagramos campeão por várias vezes os jogadores não tinham empresários, não ganhavam altos salários nem havia percentual nas negociação? Ah tá...

    ResponderExcluir
  10. O problema maior é que entra gente, sai gente, e o time continua muito ruim.
    O Cleverson se escondeu do jogo o tempo todo e custou muito pro Gallo substituir, foi o pior jogador em campo.
    Leandrinho, como primeiro jogo, não precisaria ter jogado bem, mas poderia ter mostrado que é jogador de boa qualidade, o que não ocorreu.
    O Dirceu não comprometeu.
    O Pedro Ken já jogou bem as duas partidas do ano e, ontem, voltou ao normal.
    O William é sacrificado, mesmo assim, joga muito, mas joga sozinho.
    Como sugestão, eu diria que seria uma boa política, mandar embora o Rafael Coelho, o Fábio Santos e o Maurício Alves, e contratar um centroavante de verdade, pra jogar junto com o William.
    Com o time jogando esse futebol, está ficando cada vez mais difícil sair de casa com chuva e frio pra ir à Ressacada.
    Surpreendente, também, é o Avai ter entregue o Marcos Paulo por uma bagatela para o Coritiba e, agora, pedir emprestado.
    O Gallo tem um belo discurso a cada semana, parece doutor, mas de concreto não se vê nada.

    ResponderExcluir
  11. Daniel Dutra da Rosa22 de julho de 2011 15:19

    Rogério, boa tarde!

    Ontem fiquei muito triste... Se em determinados momentos falamos que a torcida levou o Avaí a vitória, somos obrigados a dizer que ontem a falta dela levou o Avaí a não segurar tal resultado.
    É claro que o Inter tem um time e um elenco infinitamente superior ao nosso e por isso mesmo é que a torcida deveria mostrar sua força, pra que ao menos pudéssemos tirar um pouco desta tal diferença entre as equipes.
    Fiquei triste, pois fiz uma cirurgia no joelho e fui de muletas pra ressacada ontem... Acreditei que assim como eu, lá estariam outros milhares de avaianos fanáticos e fiéis, que sabiam da importância de apoiar o time neste momento, mas me equivoquei, lá estavam os velhos 3800 de 2007 e mais alguns que conseguimos pescar durante estes quatro anos.

    Continuemos firmes e fortes, tenho certeza que dias melhores virão e se não vierem, ainda assim deveremos estar lá, na nossa Ressacada, ao lado do clube que amamos, nós, os 3800.

    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Sou socio D, duas cadeira e acredito que daremos a volta por cima, a parte da torcida que nao acredita é aquela turma que escuta a CBN, principalmente um tal de MAL.




    Jc

    ResponderExcluir
  13. O jogo estava 1x0 e relativamente controlado (o Inter, com toda sua superioridade técnica monstruosa, não ameaçava muito) até o Bruno sair e Gallo colocar um meia e deixar Diogo Orlando (risos) de primeiro volante, para proteger a entrada da nossa área. Depois disso, o Inter fez 2 gols em 3 minutos. Mas claro, vai ver foi só coincidência.

    Não sei se repararam, mas no segundo e, principalmente no terceiro gols, o Romano vai trotando atrás do jogador do Inter, com uma preguiça de dar nos "nelvos". E qual o prêmio para ele, que não joga nada e ainda tem preguiça de marcar? Provavelmente será o de ser titular no próximo jogo. Porque no Avaí hoje é assim: a incompetência é sempre premiada.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.