sábado, 16 de julho de 2011

O caso Julinho ( uma conversa que ouvi) - Por Kaká de Paula

"O post que publico hoje aqui no blog é fruto de muita reflexão desde o jogo Avaí x Ceará na Ressacada. Porque é sobre uma conversa que ouvi no intervalo desse jogo entre Julinho e Gabriel Zunino. Como eu entrei no camarote porque vi o Julinho lá dentro, eu queria lhe dar um abraço, acabei ouvido e sendo testemunha dá conversa que os dois estavam tendo. Eticamente achei que nunca deveria publicá-la, mas como desde a saída do Julinho muita coisa vem sendo escrita, peço desculpas aos envolvidos na conversa, mas vou contar o que ouvi naquele intervalo de jogo.


Entrei no camarote e fui direto falar com o Julinho.
Depois que o cumprimentei e fiquei ao lado dos dois conversando com minha amiga Nidiane, vi quando o Julinho disse:"

O Restante da postagem pode ser conferido no Blog DNAzul, clicando aqui.

6 comentários:

  1. Julinho antes de sair renovou e seu salário que era de R$ 5.000 passou para R$ 25.000, com isso o empresário do jogador leva um percentual, outros jogadores da categoria de base tiveram seus contratos renovados, pelo menos é o que aparece no BID, com isso e na mesma proporção o empresário deles também leva o seu.
    Fica a pergunta, alguém sabe me dizer quem é o empresário desses jogadores?

    Pois bem, a questão não é quem pediu pra sair ou não, podemos até achar que fizeram um teatro, mas não importa, o que importa é como as coisas estão sendo conduzidas dentro do Avaí.
    Existe muitas coisas a serem explicadas, caso Julinho é só uma delas.
    Assembléia geral já.

    ResponderExcluir
  2. Quanto ao aumento de salário do Julinho. Seria aumentado mai cedo ou mais tarde independente de empresário. Até para aumentar a multa rescisória e não acontecer o mesmo que aconteceu com o Renan.

    Quanto aos jogadores das Categorias de Base não tenho ideia de quem são os empresários desses atletas. Renovações na base também ocorrem. É interesse do clube querer manter seus jogadores.
    Vale dizer que a base é dividida por idade (sub-15, sub-17) e o crescimento dos atletas importa em maior valorização.

    O Avaí já tem sido conhecido por suas revelações. É Marquinhos, Julinho, Marcos Paulo, Goleiros na seleção de base. O mercado está de olho.

    O que tem que se perguntar é: As atitudes tomadas pela diretoria seria feita da mesma forma com qualquer outro empresário ou houve favorecimento? Até o momento não vi qualquer favorecimento em razão do jogador ser empresário de X ou Y.

    ResponderExcluir
  3. Onde está o erro ou ilegalidade em renovar e aumentar a multa rescisória de um jogador? Acho que como o jogador pediu categoricamente pra sair, o Clube agiu corretamente. Foi emprestado, mas com contrato renovado e multa rescisória maior.

    ResponderExcluir
  4. Pedro, és um brincalhão.
    Marcelo

    ResponderExcluir
  5. Marcelo,

    Então era pra fazer o que? Encostar o Julinho, pagar os salários dele para depois sair de graça?

    Essa situação do Gabriel ser agente de jogadores do clube é extremamente inconveniente. Até porque mesmo que não haja qualquer favorecimento a ele, sempre haverá uma desconfiança que atrapalha o próprio Avaí. Isso é um fato.

    Agora ainda ninguém apresentou nada de concreto. Apenas insinuações.

    ResponderExcluir
  6. Engraçado, o Gabriel ser agente de jogador não pode, é indescente pode haver algum favorecimento em função da posição do pai.
    Mas quando o pai colocou mais de oito milhões do próprio patrimônio no clube, alguém reclamou ou achou indescente?

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.