sexta-feira, 15 de julho de 2011

Sobre Gabriel Zunino

Estão cobrando do blog uma posição sobre a negociação de Julinho ao Vasco, tendo Gabriel Zunino como empresário do jogador.

Vamos separar a postagem em duas partes, só relembrando que eu já havia dito que não falaria sobre o assunto "Gabriel Zunino".

O Gabriel tem direito de seguir a carreira que quiser, se escolheu ser empresário de jogador, parabéns pra ele. Gabriel está ciente de onde está se metendo pelo fato de ser filho do Presidente do Avaí.

Ele tem que ser tratado no Avaí como mais um empresário, e qualquer negócio envolvendo jogadores dele com o Clube tem que ser feito dentro dos parâmetros normais, e nem preciso dizer que o Clube jamais pode ser prejudicado em qualquer negócio.

É uma situação ética? Se alguém provar para mim que existe ética no futebol... Independentemente de ser ético ou não (existe ética no fut....?) é uma situação incômoda para todo mundo, e até eu tenho que ficar aqui dando explicações como se tivesse algo a ver com o assunto. Mas repito, não sendo o Avaí prejudicado em nenhum nível não acho que seja uma coisa para se criar uma tempestade.

Sobre a negociação de Julinho, oras bolas, o próprio jogador pediu para ser negociado. Vasco da Gama e Corinthians negociaram diretamente com o jogador pelas costas do Avaí e do seu empresário, aquela tal "ética" que falei acima fica bem exemplificada nesta negociação. Já havia acontecido com Rivaldo no ano passado quando Felipão ligou diretamente para o jogador.

Ele não foi para o Corinthians pois era o "plano B" do time paulista que preferia Ramon do Vasco, que com a negociação de seu lateral concluída com o time paulista voltou as baterias para Julinho.

A lesão de Julinho? Existia desde o jogo contra o Palmeiras. Foi detectado um edema em algum lugar da perna, sei lá aonde, e o jogador se aqui estivesse já estaria pronto para jogar contra o Internacional na semana que vem. O que faltou aí foi o DM se manifestar sobre o assunto e ficou o dito pelo não dito.

Julinho não queria mais jogar por aqui, tem 25 anos, veio para o Avaí de graça, ganhava uma merreca, reformou seu contrato para ganhar mais e vai para o Vasco com a perspectiva de disputar uma Libertadores, ganhar muito mais, comprar a "casinha pra mãe" e etc. Foi por empréstimo, o Vasco deve dar na contrapartida um ou dois jogadores e um deles com a totalidade de salário paga pelo clube carioca.

Portanto só vi vantagem neste negócio, relembrando que é por empréstimo. Pronto, falei sobre dois assuntos que a turma estava querendo saber, agora vamos tocar o barco que precisamos vencer logo o primeiro jogo e esquecer certos assuntos extracampo.

NR: Antes de ser emprestado ao Vasco, Julinho renovou seu contrato com o Avaí até 2014.

6 comentários:

  1. Desculpa, Rogério, mas não consigo ver a mínima possibilidade do presidente (pai) sentar para negociar com o empresário (filho). Não é nem questão de ética, é total incompatibilidade.
    Abs, Marcelo

    ResponderExcluir
  2. Gabriel só não pode se beneficiar pelo fato de ter um pai presidente do Avaí para ter vantagens na negociação com jogadores do avaí. Outra coisa que encomoda é o fato de o Avaí emprestar jogadores e não receber DINHEIRO, sempre a com troca de jogadores e geralmente que vem para o Avaí é alguém que está largado ou há meses no DM. Nunca mandam um bom jogador.

    ResponderExcluir
  3. Não consigo ver essa normalidade toda. Trata-se do filho do atual Presidente do Avaí negociando um atleta até então titular - por empréstimo - a um concorrente.
    O fato de não existir ética no futebol não significa que o clube não deva ética para a torcida.
    É o que eu acho.
    Abs

    ResponderExcluir
  4. Não é o modelo de parceria mais bem visto pela torcida.
    O pai tem o poder da caneta e o filho faz a oferta...
    Para o bem do Avaí, do Zunino, do GZ e da torcida, seria muito bom que os negócios fossem feitos em outros clubes.
    Sinceramente, também acho que ficou bom para o Avaí, mas o desgaste causado foi muito ruim para todas as partes.

    Não sei de bastidores, não sei de CD, não conheço os envolvidos e minha opinião é baseada em tudo que li.

    Abs

    ResponderExcluir
  5. Não vejo normalidade nenhuma e muito menos vantagem para o AVAI em empresta-lo para o Vasco. E mais, ele não quer jogar? Arruma um clube que pague a multa rescisória e tchal, se não tiver deixa ele treinando em separado até acabar o contrato. Já gastamos dinheiro a toa mesmo com Rafael Costa e companhia um a mais ou um a menos não faria diferença. Chegou aqui morto de fome e agora quer impor condições?. Julinho é enganador e não merece nunca mais vestir a camisa do AVAi. Lesão do Julinho? A única lesão que ele tem não é na perna, bom deixa pra lá.... no mais Gabriel Zunino se for empresário que se exploda, mas convenhamos fazer negócio onde o pai é presidente e ele é conselheiro só acontece conosco mesmo!

    ResponderExcluir
  6. Quando as justificativas passam pelo "E existe ética no futebol?" é porque a coisa tá mais feia do que se imagina...

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.