segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Toninho Cecílio conheceu melhor o time

Duas ótimas atuações, 6 pontos na tabela e o torcedor sorrindo à toa. Esse foi o início de Toninho Cecílio dirigindo o Avaí.

Mas a derrota de sábado acaba sendo, até agora, o momento mais importante para Toninho avaliar o grupo de jogadores. Não deveria ser assim, time sendo avaliado na 21ª rodada do campeonato, mas é nossa preocupante realidade.


Fica para nosso treinador algumas lições, jogar um clássico, e jogar contra o Flamengo, com Ronaldinho Gaúcho no time são realidade diferentes de outros jogos.

Tomara que neste raciocínio entre o Santos de Neymar e que o Avaí jogue em alto nível e vença a partida. Toninho tem que saber que os jogadores as vezes se escondem e que o time oscila muito dentro dos jogos e dentro da competição.

Que busque o equilíbrio, e que a Diretoria pense seriamente em contratar pelo menos mais um atacante, para aumentar nosso leque de opções.

Se o Flamengo tem a "Ronaldinho dependência" parece que o Avaí tem a "Batoré dependência. 

Um comentário:

  1. No sábado tivemos um time covarde, batido antes de o jogo começar.
    Jogamos com três a menos, porque o Lincoln, o Pedro Ken e o Rafael Coelho não jogaram nada.
    O Robinho também não foi bem, mas, pelo menos, tentou.
    Parecia que o técnico era o Gallo, mal escalado e mal mudado durante o jogo.
    Durante todo o tempo o Atlético jogou sozinho, fácil, e o nosso técnico nada fez pra mudar, pra tentar ganhar o jogo.
    Se for essa a política pra jogar fora de casa, que tratemos de ganhar todas em casa, porque fora não ganharesmos nada.
    Infelizmente, sai um retranqueiro e entra outro.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.