sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Nota fúnebre

Fúnebre foi o tom da notícia proferida pelos veículos da RBS quando o Avai, calmamente reuniu os atletas envolvidos  e resolveu o problema.

A notícia de que tudo estava bem de novo, de que Lincoln não seria demitido, de que eles tiveram grandeza para resolver o problema e que isso é uma coisa normal em qualquer clube (ou não?) foi dada pelo mesmo Jean Balbinoti e por outros repórteres com “muito pesar”.

Para mim, esta foi a demonstração mais clara que havia um direcionamento para tirar Lincoln do clássico (o homem do jogo no clássico do turno). A torcida do Avai não é tão burra quanto parece. É preciso entender que já caímos, teremos que recomeçar, mas esse recomeço passa por uma vitória no clássico. Os jornalistas trabalharam pela humilhação. Isso é reprovável.

3 comentários:

  1. Como jornalista? Jornalista é pegar a informaçao de um x-9, sentar na poltrona, ligar o ar condicionado e teclar um monte de M? Para mim o cara para ter credibilidade e falar em futebol tem que estar onde os jogadores estao, ou seja, no campo.

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente, se era para voltar e falar tanta besteira como falasses era melhor ter continuado "na muda", como vinhas fazendo...
    Como bem colocastes, a torcida do Avai não é tão burra quanto parece, essa historinha de jogar a culpa de tudo na imprensa não cola mais.
    Esse teu pensamento é exatamente o que levou o Avaí pro buraco...chega!!!

    ResponderExcluir
  3. Reprovavel também a manifestação de diversos torcedores avaianos nos últimos dias. Infelizmente uma parte da nação azurra não merece o Avaí na série A, pois reprova os mesmos dirigentes honestos que colocam o clube entre os MELHORES DO BRASIL.

    abs,
    Marcelo

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.