quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Foi no sufoco: Vencemos

Pirão comemorando um de seus gols (Foto: www.avai.com.br)
Um jogo que parecia estar controlado se complicou e no final, na base da garra o Avaí conseguiu confirmar a vitória por 3 x 2 em cima da equipe do Criciúma. Se não foi uma apresentação de encher os olhos, valeu pelos três pontos e pela evolução da equipe em alguns aspectos.

Na ilha não tem Café, mas tem Pirão

O destaque do jogo foi sem dúvida o Pirão, que no primeiro tempo marcou duas vezes contra seu ex-clube. Um de cabeça após a cobrança de escanteio e outro na cobrança de falta. Teve melhor aproveitamento nessa partida jogando como lateral-esquerdo, da forma como terminou em Chapecó.

Bola aérea não é problema de hoje

É incrível. Mudou o ano, mudaram os jogadores e o problema persiste. Bola aérea na área do Avaí é probabilidade de gol adversário, mesmo em jogadas oriundas de bola-parada. Em duas partidas, três gols sofridos e todos com essas características.

Parece que a pré-temporada não foi suficiente para treinar a jogada B-A-BÁ do futebol. É um ponto que precisa ser resolvido urgentemente.

O resultado
A vitória foi importantíssima e justa. O Avaí criou as melhores oportunidades, mas ainda tem que melhorar seu futebol. É uma equipe em formação, que busca suas alternativas e que ao menos demonstra seriedade entre seus atletas. A evolução tem que ocorrer em cada jogo e que seja com resultados positivos.

Por fim, o gol no final da partida na raça, marcado pelo Diogo Orlando, é uma marca avaiana e faz lembrar os bons velhos tempos vivenciados há não muito tempo.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.