sábado, 10 de março de 2012

O "caso" Lincoln de ontem é o "caso" Gilmar de hoje: Entenda até onde vai a coisa

No ano passado, quando deu aquele "rolo" entre Diogo Orlando e Lincoln no vestiário de uma partida do Brasileirão, o colunista Roberto Alves cobrou com veemência uma atitude da Diretoria Avaiana em relação ao caso.

Para Roberto Alves Lincoln teria que ser afastado, pois o acontecido era um absurdo, etc, etc, etc... Carlito Arini no alto de sua "sabedoria" mordeu a isca, e começou a tratar do afastamento, por indisciplina, do jogador.  Só que o dirigente não percebeu a armadilha que estava caindo.

O apelo do colunista da RBS acontecia às vésperas de um clássico. A cobrança visava tirar o jogador que tinha "arrebentado" no primeiro clássico, o objetivo era facilitar as coisas para o time do estreito, pois se o Avaí era ruim com Lincoln, sem Lincoln então...

Sorte nossa é que alguns diretores avaianos juntamente com o L.A. interviram e impediram a "patuscada" de Arini. O próprio jogador Lincoln avisou: "quero jogar, pois podem ter certeza que vai ter jogador que vai sentir alguma lesão para ficar de fora", dito e feito, o jogador vocês sabem quem foi.

Qual a ligação do "caso" Lincoln e do "caso" Gilmar?

A resposta é fácil. Acompanhem o raciocínio que vocês vão entender como as coisas funcionam rapidinho. No episódio de Gilmar, que chutou a placa em Criciúma, mais uma vez entra a figura de Roberto Alves. Aqui, um pequeno adendo, Gilmar, em forma, é um jogador diferenciado, e agora ele recém começara a ser utilizado.

Roberto Alves mais uma vez aproveitou o episódio do chute na placa, relatado brilhantemente por Alisson Francisco, e que será tratado mais adiante, para cobrar atitude da diretoria avaiana em relação ao jogador.

Ora, investiram no jogador, uma contratação de risco e agora que o mesmo começava a jogar vão dá-lo de mão beijada para o CRICIÚMA?????

NADA DISSO!

Agora é a parte da postagem que vocês tem que ficar mais atentos. Quando se fala em CRICIÚMA, hoje em dia, vocês pensem em Figueirense. Isso mesmo. Os dois times tem em comum uma dúzia de jogadores de Eduardo Uram cada.

O time do Sul do Estado é uma grande "chocadeira" para o time do estreito. O que der certo lá vem para cá, e o que não der muito certo por aqui vai pra lá.

Gilmar deve acertar com o Criciúma, entrar em forma, e se arrebentar, aparecer pelas bandas do estreito. Desta forma o time do Lodetti não pode ser acusado de ser anti-ético, por assediar jogadores das outras equipes e etc.

Para vocês saberem se estou falando a verdade ou se estou viajando é só dar tempo ao tempo.

Carlito Arini e Zunino vão mais uma vez de forma ingênua fazendo uma grande besteira rescindindo  com o jogador, caindo em uma armadilha da imprensa e reforçando o elenco de times inimigos.

À propósito, a postagem não é pra colocar culpa no Roberto Alves não, ele faz o papel de raposa que nós conhecemos, a postagem é só pra mostrar que ingenuidade não tem lugar no futebol. E tem gente que acha que porque tem dinheiro tem tudo...

Fiquem de olho no blog quero fazer uma outra postagem que vai deixar uma meia dúzia puta da cara comigo.

12 comentários:

  1. VC TA VIAJANDO CARAAAAAAAAAAA... ACORDA MANEEEEE

    ResponderExcluir
  2. Argumenta Carlos, só dizer que está viajando é muito fácil. Rogério

    ResponderExcluir
  3. A RESSACADA É UMA BAGUNÇA !!! É VERO !!! SÓ TIVEMOS DOIS ANOS BONS.....COM A AJUDA DO LA, O RESTO FOI SÓ VERGONHEIRA...e enquanto isto o Avai esta perdendo mais uma legião de futuros torcedores....vejam nas escolas...estamos virando uma torcida de velhos !!!!

    ResponderExcluir
  4. Respeito tua opinião e gosto muito do blog,mas é muita história pra minha cabeça é muita conspiração,o que vi foi um profissional indisciplinado e mau caráter que não respeitou nosso clube e que merecia ser mandado embora.Na minha opinião não acredito que voltará a jogar futebol no nível de antes que já não era tudo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, se respeita minha opinião, já é meio caminho andado. COmo disse, se esperarem um pouco saberão se é conspiração ou não,

      abraço

      Rogério

      Excluir
  5. Rogério,com todo respeito, esse post não tem "pé nem cabeça". Seria mais sensato, você descer de cima do muro e escrever sobre aquilo que é real, ou seja, essa administração é um caos, uma baderna, uma desordem. João Nilson Zunino, como presidente do Avaí, é uma lástima, uma fraude, uma vergonha. A Ressacada, hoje, é a casa da mãe Joana.

    ResponderExcluir
  6. Rogério,com todo respeito, esse post não tem "pé nem cabeça". Seria mais sensato, você descer de cima do muro e escrever sobre aquilo que é real, ou seja, essa administração é um caos, uma baderna, uma desordem. João Nilson Zunino, como presidente do Avaí, é uma lástima, uma fraude, uma vergonha. A Ressacada, hoje, é a casa da mãe Joana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado, só quero que entendas duas coisas: O Avaí faz o jogo da imprensa sempr. 2º, só quis mostrar a todos que uma coisa que já começou errada vai errada até o fim, como falei, aguarde e veja lá adiante se eu tinha razão ou não,

      abraço

      Excluir
  7. Postei no Pitaco Azul que a dispensa do Gilmar era uma idiotice. E continuo afirmando.
    Abs, Marcelo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo, bem vindo de volta ao blog. A atitude da Diretoria seria legal se for uma linha de trabalho adotada. Manda o Arlan ou o Robinho chutarem placa e vejam se serão dispensados. Mofas!

      Abraço

      Rogério

      Excluir
  8. Tavas indo bem até a segunda parte..

    o Criciuma já está se desfazendo da "parceria" com o Eduardo Uram... Gilmar já tem um empresário e foi contratado diretamente com o Rodrigo Pastana, diretor de futebol do Criciuma.

    Uram mandou muito jogador fraco para o Criciuma esse ano, que estão começando a vazar do time. Antenor nem tem mais contato com o empresário do Figueirense

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.