segunda-feira, 14 de maio de 2012

Ôrra! Que postagem engraçada!

Nikola Bottós - O choro é livre

Desde o último domingo, com a confirmação que a final do Catarinense 2012 será entre Figueirense e o time do Carianos, um fato tem chamado a atenção dos florianopolitanos. Aumentou significativamente o número de lenços vendidos nas farmácias e supermercados da Capital. Os bares e botecos ficaram mais cheios, e mais tristes, já que seus habituais frequentadores passaram a utilizar o álcool para afogar as mágoas. O lado azul da mais bela cidade ao sul do trópico de capricórnio está ainda mais azul. Um azul triste e melancólico, refletido nas lágrimas do torcedor Bvaiano.
Dizem que chorar faz bem. Limpa a alma de sentimentos tristes e te faz renovar a esperança. Dizem também que o choro é livre. Afinal, quando a derrota é inevitável, a única ação possível é o choro, e este nunca lhe é negado. Portanto, caros alvinegros, não devemos rechaçar esta conduta de nossos queridos co-irmãos. É um ato de cidadania, praticamente uma ação humanitária, que cometemos ao deixar que o outro lado da ponte se esvaia em lágrimas.
Deixemos então, que chorem. Chorem muito. Chorar, pois, é sua atividade costumeira. Não vamos dizer aos incautos azulinos que o Figueirense foi o Campeão INCONTESTE de 1999. Muito menos que o pênalti marcado sobre o Claudiomir foi filmado por 475 câmeras e que até o ceguinho que toca acordeom na Felipe Schmidt viu o puxão na camisa alvinegra. Não falaremos, ainda, que o Figueirense liderou a competição inteira, ganhando o primeiro turno e perdendo o segundo para o Criciúma, e que em qualquer competição organizada por sujeitos decentes, seria com este que o Alvinegro faria a final.
Deixem que chorem, que renovem a esperança, que reclamem da arbitragem. Aqui no Scarpelli não tem disso. Aqui é Figueira. Aqui se honra o branco e o preto, mais o verde da nossa Figueira. O choro, meus amigos, pode até ser livre, mas que fique restrito ao lado infantil de nossa querida ilha. Afinal, de choro eles entendem.
E você, alvinegro sorridente, pode sorrir ainda mais com essa coletânea.

*Publicado no blog Meu Figueira em 04.05.2012, é ou não é mais um exemplo de ejaculação precoce?

Um comentário:

  1. O Fernandes até ameaçou, mas ficou com o bronze; a prata ficou com Tulio (ele já havia feito história no Botafogo); e o ouro para Pablo, que não aguentou a pressão e teve de ser consolado depois de fazer uma assistência (?!?)

    ResponderExcluir

Comentários anônimos serão excluídos. Sugere-se a utilização das demais formas de identificação disponível.